O natal na Alemanha

Olá pessoal,

Se tem uma comemoração que os alemães adoram, é o Natal! Nesta época do ano, as cidades organizam as famosas Weihnachtsmarkt (Vái-nas-mar-quet), Feiras de Natal, que podem durar o mês de dezembro inteiro, ou acontecer apenas durantes os finais de semana, em cidades menores.

img_0874

Nestas feiras, além das tradicionais comidas alemãs (leia-se salsichões e cerveja), é comum encontrar doces típicos e muito vinho quente, conhecido como Glühwein, alem do já conhecido chocolate quente. Ambas as bebidas ainda, geralmente veem em canecas decorativas e colecionáveis.

Mas não são apenas comes e bebes que encontramos na feira. Diversas barracas vendem decorações de natais artesanais produzidas em diversos locais do mundo. São lindas mas também podem ser bem caras.

Algumas feiras ainda possuem brinquedos para crianças tais como rodas gigante e carrosséis. Tudo muito colorido e iluminado para que todos possam se sentir bem a vontade, ainda mais nessa época quando as 17:00 já está escuro e bem frio (em torno de zero grau Celsius)

Por aqui ainda não nevou, mas quando começar sabemos que a feira ganha um charme a mais e fica ainda mais bonita.

Além da Weihnachtsmarkt, existem outras tradições que são comumente vistas. Nos supermercados e em lojas, pode-se encontrar diversas caixas calendário que fazem contagem regressiva a partir do dia 1º de Dezembro até o dia 25. Para cada dia, há uma janelinha que deve ser aberta para pegar o presentinho (pequenos bombons ou lembranças) do dia. São muito populares não só entre as crianças, mas também entre os adultos e principalmente entre nós.

 

Ainda, uma decoração frequentemente realizada em quase todas as casas, são as velas do Advento. Deve-se colocar 4 velas e acender uma em cada domingo antes do Natal. Cada vela possui um significado. A 1º é a do Perdão, a 2ª da Fé, a 3ª da Alegria e  a ultima do Ensinamento. Existem ainda elementos decorativos que podem ser colocados ao lado da vela, cada qual com seu significado especifico. Claro que entramos nessa e criamos a nossa também. Além disso, compramos algumas luzinhas e decorações para a casa.

No dia 06 de Dezembro, dia de São Nicolau, as crianças colocam os sapatos para fora de casa e se estiverem bem cuidados e limpos, devem ganhar um pequeno presente de São Nicolau. Normalmente pequenas lembranças e chocolates são colocados pelos pais.

A arvore de Natal possui significado especial na Alemanha, pois esta teria origem aqui. Alguns atribuem sua criação a São Bonifácio, outros a Martinho Lutero. Independente disto, foi por neste país que o simbolo se popularizou. O costume local é monta-la no dia 24 de Dezembro. Ele preferem utilizar um pinheiro de verdade ao invés das arvores artificiais, e apesar de não ser uma prática muito sustentável, é quase unanimidade, além de ser mais barato, visto que pinheiros são encontrados por todo o país. No começo de janeiro, caminhões especiais passam por toda a cidade para recolher as árvores, que devem ser deixadas nas calçadas.

Pretendemos fugir um pouco da tradição local e começar a montar a nossa na próxima semana. Fiquem ligados em nosso Facebook ou Instagram que iremos colocar fotos dela, la. Além disso, outras fotos das feiras podem ser vistas em nossas redes sociais.

A vida de bicicleta em Braunschweig!

Quando cheguei em Braunschweig em 2013 pela primeira vez, umas das coisas que mais me chamou a atenção foi ver bicicletas pra todos os lados! Aí você deve estar se perguntando, e daí? E daí, como venho de uma cidade grande e perigosa para ciclistas, foi um impacto positivo ver o uso da bicicleta como meio de transporte bem comum, visto que no Rio de Janeiro a maioria usa infelizmente apenas para lazer.

No ano passado passei três meses aqui e minha exigência foi ter uma bicicleta pra chamar de minha! Conseguimos comprar uma usada, o que é muito comum com quase tudo que deseja-se adquirir. A bicicleta estilo holandesa, fabricada em 1983 chegava as mãos de sua segunda dona! Linda!

outono-1

(Minha bicicleta)

Depois de quase vinte anos sem pedalar, tive que reaprender a me equilibrar e em seguida, todas as regras de trânsito. No começo tremia os braços e não conseguia manter uma linha reta. Fiz isso dentro de um parque pra não atrapalhar ninguém. Sabe aquela expressão bem comum andar de bicicleta, a gente nunca esquece”, foi exatamente isso! Depois de um par de horas já estava confiante e saímos pra pedalar pela cidade.

No começo, ainda sem entender todas as regras me senti insegura e com medo dos outros veículos. Mas foi nesse ponto que aprendi a coisa mais importante para um ciclista aqui, a prioridade é sempre da bicicleta! Incrível né? Por praticamente toda a cidade existem pistas ou faixas exclusivas para os ciclistas. Caso não tenha, a bicicleta tem a vez! Mas ande pelo canto direito, não precisa abusar! ; )

bicicleta-1-2

Além das pistas, há também, sinais (farol) de trânsito somente para as bicicletas! Tudo muito organizado! Outra coisa que todo ciclista deve saber são as sinalizações pessoais necessárias a serem utilizadas durante seu percurso. Se você deseja virar a esquerda, por exemplo, deve-se avisar um pouco antes, para a direção com seu braço esquerdo, como uma seta de carro. Não vire de repente! Caso tenha um outro ciclista atrás de você, é capaz que reclame. E com razão! Porque isso pode provocar acidentes.

Assim como os automóveis, deve-se pedalar na mão da via, a noite ou em dias de chuva (sim! ponha uma capa de chuva e continue!)  os faróis dianteiro e traseiro ficam ligados, o não cumprimento pode gerar multas. Além dos faróis, toda bicicleta precisa ter olho de gato nas rodas e uma buzina. Essa última é muito útil! Acontece de ter um pedestre desavisado caminhando pela pista de bicicleta.

bicicleta-1

(Essa placa significa que bicicletas e carros dividem o mesmo espaço)

Hoje a bicicleta, depois de estar estabelecida definitivamente na cidade, é meu principal meio de transporte! Como disse, mesmo em dias de chuva que são bem frequentes! Vou ao curso, ao supermercado, encontrar com amigos e etc. Praticamente todos os lugares possuem áreas para estacionar, se não houver, basta procurar um cantinho, um poste ou uma árvore e está tudo resolvido! Não esqueça nunca de fechar a bicicleta com cadeado, é mais fácil alguém levá-la do que seu carro!

bicicleta-1-3

A vida de bicicleta tem inúmeras vantagens para mim. É sem dúvida mais saudável. Qualquer um pode usar, independente da idade. Por incrível que pareça as distâncias são menores, em alguns casos, comparando com o transporte público. É praticamente de graça, você precisa apenas comprar a sua! E ainda consegue-se admirar a paisagem e sentir o vento no rosto!

Abraços Ju!

Me chamo Juliana, sou professora de História e fotógrafa. Moro em Braunschweig há seis meses e o amor me trouxe até aqui! Conheci a Monica e o Eduardo através do blog Explorando a Alemanha e vou colaborar um pouco, contando também minhas experiências!

Visitando o primeiro castelo: Wernigerode

Olá amigos, tudo bem??

Nos últimos dias temos corrido bastante por aqui e infelizmente não tivemos muito tempo para nos dedicar ao blog. Em breve apresentaremos algumas novidades, mas hoje falaremos de um outro assunto.

Um pouco depois de chegarmos, um casal de amigos que moraram por aqui durante um tempo, nos enviou uma lista denominada de “Desafios dos Castelos”. É uma lista que contém os melhores castelos para se visitar aqui na Alemanha. Procuramos na internet mais alguns e vimos que na Alemanha há mais de 50 castelos incríveis para serem conhecidos. Verificamos quais eram mais próximos e fomos conhecer o primeiro da lista. Apesar de não estar na original enviada por nossos amigos, decidimos inclui-lo nela.

A cidade se chama Wernigerode, e fica no meio das montanhas Harz, o maior conjunto de montanhas do norte da Alemanha. Logo ao chegar na cidade, já é possível notar o castelo localizado no alto de um morro, chamando a atenção de todos os turistas que visitam a cidade.

fullsizerender-10

Pode-se chegar ao castelo a pé, após uma caminhada em aclive de cerca de 1,5 km ou pegando um dos trens que vai até o mesmo.

Ao chegar no mesmo, por estar localizado acima da cidade, têm se uma vista de toda ela, além de ser possível ver toda a região, completamente envolta por uma floresta. É uma vista de tirar o fôlego de qualquer um.

img_0676

Além disso, pode-se entrar dentro do mesmo e verificar a mobília e o interior de um castelo medieval. Em volta dele há uma série de lojas e restaurante vendendo itens e comidas típicas da região. Além disso há algumas pousadas, possibilitando aos visitantes a oportunidade de acordar com um castelo enorme como vista.

Ao voltarmos para conhecer o centro da cidade nos deparamos com uma boa surpresa. Neste dia especifico estava acontecendo a ChocolArt, uma feira de chocolate com dezenas de barracas vendendo todos os tipos de chocolates e doces da região. Barras de todos os formatos, fondues, bolos e diversas gostosuras que poderia deixar qualquer um com agua na boca. Apesar de termos conhecidos a cidade toda em algumas horas, aconselhamos a todos que estejam pela região de Harz a visita-la e se divertirem.

img_0738

Abaixo algumas fotos desta cidade e principalmente do castelo. Algumas outras podem ser encontradas em nosso Facebook e Instagram.

Prometemos voltar mais vezes e esperamos que em nosso próximo post teremos uma novidade por aqui.

Um abraço a todos!

Eduardo e Monica!

fullsizerender-12

 

Trabalhando com os Alemães

Olá pessoal, tudo bem?

Com quase duas semanas trabalhando aqui na Alemanha (e mais de dois anos de contato com eles, além de algumas viagens), irei relatar um pouco sobre como é o dia a dia da empresa e algumas diferenças do que estamos acostumados no Brasil.

Antes de começar, quero ressaltar que, o que comentarei a seguir é baseado em nossas experiencias e não deve ser tratado como verdade absoluta. Cada empresa possui sua própria cultura e, mais do que tudo, as empresas são formadas por diversas pessoas diferentes entre si. Não queremos comparar brasileiros e alemães ou dizer qual país é melhor para se trabalhar. Apenas falaremos das diferenças sentidas por nós.

Por último, apenas para esclarecer, eu, Eduardo, trabalho para uma empresa do setor de máquinas para a indústria alimentícia. É uma empresa antiga (mais de 100 anos) que passou por diversas mudanças. Trabalho na parte de projetos no departamento de automação.

1 – A jornada de trabalho:

A maioria das pessoas possui um contrato de 40 horas por semana. Algumas possuem contratos um pouco maiores (42 ou 44 horas). Os funcionários da fábrica, por estarem sob contrato através dos sindicato, trabalham 35 horas semanais.

Além disso, todos possuem 30 minutos de almoço e 15 minutos de intervalo no café da manhã. Em geral os horários são flexíveis e existe banco de horas. É comum todos trabalharem um pouco a mais ao longo da semana para irem embora na sexta logo após o almoço. É comum ver pessoas às vezes irem embora entes das 15 horas. Há ainda aqueles que começam a trabalhar antes das 07 da manhã.

Home office por aqui não é uma pratica muito comum. Em geral a maioria dos gerentes não acredita ser adequado.

2 – Férias

Temos 30 dias úteis por ano. Isso significa 6 semanas de 5 dias que se tirados de uma vez resultarão em mais de 40 dias. Apesar disso, muitos gostam de usar os feriados para complementar. Deste modo se um feriado é na segunda ou na sexta, pode-se tirar 9 dias e apenas 4 serão contabilizados.

Ainda nas férias, é comum eles saírem sem avisar ninguém e sem deixar alguém tomando conta de suas coisas. É comum algum processo ficar parado por mais de uma semana esperando a pessoa voltar. E ninguém parece se irritar com isso.

3 – Pensar, pensar, pensar…

É comum no Brasil as pessoas começarem algo sem antes pensar nos requisitos e nas complicações que poderão ocorrer no caminho. Isto aparenta ser algo mais difícil de acontecer por aqui. Eles só começarão algo quando tiverem tudo o que precisam para terminar. Se um parafuso ou um programa está faltando, eles não irão começar o trabalho. Além disso, possuem tudo que for necessário para emergências (desde que tenham pensado nela).

4 – Improviso?

Justamente por pensarem tanto em algo, se algo acontecer que não estava previsto, eles não sabem como reagir. A capacidade de improvisar do alemão é pequena. Se algo der errado, eles irão parar tudo e usar o dobro do tempo no que deu errado e como evitar o erro na próxima vez, mas demorarão para consertar o problema que já foi feito.

5 – Não tão organizados assim…

Assim como no Brasil, a primeira semana de trabalho foi relativamente desorganizada. Poucos sabiam que eu estaria ali e menos ainda o por quê. O computador estava preparado porém boa parte dos softwares necessários ainda não haviam sido instalados. Depois de duas semanas, nem tudo está em ordem ainda.

6 – Idioma

Apesar de quase todos saberem falar inglês (em maior ou menor grau), a língua oficial é o Alemão. Os arquivos estão em alemão, os softwares estão em alemão e todos falam, obviamente o alemão. Menos eu, (por enquanto!) claro! Isso traz algumas dificuldades e algumas histórias engraçadas e para aqueles que pretendem trabalhar aqui, ter um curso do idioma, ajuda bastante.

7 – T.I. 

Não sei dizer se é apenas em minha empresa, mas o departamento de T.I. é um pouco paranoico. Portas USB travadas, drives de cd bloqueados, firewall rígidos, softwares específicos e etc. Apesar de diversas empresas ao redor do mundo estarem cada vez mais abertas as novas tecnologias e liberdades, o setor industrial ainda tem muito receio de espionagem e vazamento de informações.

8 – Sempre diretos e sem puxa sacos

Raramente um alemão irá perder tempo tentando amenizar a situação. Se está ruim, ou devagar, ou rápido demais, eles irão falar na sua cara e em alto e bom som. Algumas vezes, brasileiros, levam as críticas ruins para o lado pessoal, causando intrigas que muitas vezes não existem. Os alemães irão quase sempre falar o que pensam, sem rodeios ou puxa-sacos. Isso não significa que são grossos, apenas diretos demais, o que, para nós, parece sem-educação.

9 – Alta produtividade sempre.

Apesar de parecer que trabalham pouco (como visto acima), os alemães possuem uma produtividade bem acima da média. Isso se deve primeiro ao fato de serem extremamente profissionais. Não vemos por aqui muitas pessoas olhando sites de noticia ou redes sociais nos celulares, não enrolam nos intervalos e mesmo tendo alguns bate-papos entre as pessoas do departamento, em geral eles são curtos e não se prolongam.

Soma-se isso ao fato de pensarem bastante nas consequências e nos requisitos de cada trabalho, o que aumenta em muito a qualidade do mesmo, as atividade quando passadas para a próxima etapa, raramente precisam ser refeitas, poupando tempo (e dinheiro).

10 – A maior dificuldade até agora:

Além de tudo o que foi dito, o que mais tem atrapalhado na adaptação é sem dúvida nenhuma o teclado alemão. Por usar um padrão diferente e por termos algumas pequenas diferenças no alfabeto, digitar em um teclado alemão resulta em errar quase toda a pontuação e sempre trocar “Ys” por “Zs” e vice-versa (as teclas são trocadas) o que pode atrasar muito as pessoas que estão acostumadas há muitos anos com os teclados brasileiro ou americano.

Caso alguém esteja pensando em mudar para cá, não se esqueça, traga seu teclado!!

Espero que tenham gostado do post!! Quando observarmos alguns outros pontos que valem a pena ser dito, escreveremos uma segunda parte sobre como é trabalhar por aqui. Para aqueles que estão aqui na Alemanha, como foram as suas experiências? Conte-as para nós em nossos comentários. E não deixem de nos seguir no Facebook e no Instagram.

Um dia em Hannover

IMG_7295.JPG

Olá pessoal,

Desculpem a demora por publicar algo nos últimos dias. Esta segunda foi feriado aqui na Alemanha (Dia da Unidade Alemã – 26 anos da queda do muro de Berlim) e por isso aproveitamos o feriado para passar um dia em Hannover e nos dois dias seguintes tivemos que nos dedicar aos afazeres domésticos. Além disso, hoje, terça feira, foi meu primeiro dia no trabalho, portanto tive que aproveitar o feriado para dar uma organizada na documentação.

Como o próprio título já diz, iremos falar um pouco sobre nosso dia nesta cidade, o que fizemos, o que deixamos de fazer e algumas observações de quem acabou de chegar por aqui.

Para começar, fomos de trem rápido (conhecido como ICE – Intercity Express). Compramos a passagem alguns minutos antes na bilheteria da Hauptbanhof (Raubãnrof – Estação de trem principal) de Braunschweig. Os bilhetes são muito fáceis de comprar também pela internet, inclusive através de aplicativos por celular ou em terminais eletrônicos de autoatendimento nas estações. Porém queríamos comprar um Bahn Card (um cartão que você paga anualmente e consegue desconto nas passagens) e para isso achamos mais fácil ir na bilheteria.

A mulher que nos atendeu vendeu para nós as passagens para o trem que ia partir em 4 minutos. Para quem nunca pegou um trem na Alemanha, ou na Europa em geral, irei explicar um pouco como funciona. Na grande maioria das vezes, se no bilhete está escrito 09:28 isso significa que o trem irá chegar às 09:27:00, ou seja, as pessoas que estão dentro do trem desembarcam em 30 segundos, as que irão entrar, embarcam nos outros 30, ele espera mais alguns segundos e as 09:29 ele provavelmente já estará em movimento novamente. Em alguns casos, talvez o trem se atrase de 2 a 5 minutos, porém mais do que isso, é muito raro! Portanto, se você acha que pode chegar as 09:30, pode ser que você já tenha perdido o trem. Existem passagens que te permitem pegar qualquer trem que faça o mesmo trajeto, e reservar horário, porém são mais caras.

Vale ressaltar que, para entrar em um trem, ninguém irá pedir a sua passagem, porém durante o trajeto é grande a chance de encontrar os inspetores/fiscais que passarão de um a um para verificar se todos as possuem. As consequências de embarcar em um trem sem passagem implicam na expulsão do mesmo na próxima estação e multas relativamente pesadas. Já andei de trem umas 8 vezes por aqui em viagens passadas e acho que apenas uma vez não pediram. Outro ponto que vale a pena citar é que, na maioria dos casos, não há assentos reservados, é possível reservar um assento especifico, porém paga-se a mais. Caso você esteja em um assento e aparecer alguém falando que o assento é dele, peça para ver a passagem e caso for verdade, saia do mesmo e procure outro lugar. Neste caso, não há muito o que fazer pois ele pagou a mais para isso.

Enfim, ao chegarmos em Hannover nos deparamos com a primeira surpresa: era dia de jogo de futebol. Diversos torcedores chegavam a cada minuto na estação vindo de cidades próximas e da cidade do time rival. Mesmo faltando de 4 a 5 horas para o jogo, todos eles já rumavam para o estádio do Hannover 96, que fica há uns 15/20 minutos da Haupbanhoff da cidade. Apesar de ainda ser 09 da manhã, alguns já bebiam cerveja, claro. O que chamou atenção é que torcedores de ambos os times andavam lado a lado, sem brigas. A polícia estava presente em todo o trajeto, altamente equipada, porém sem entrar em confronto com os torcedores. Tudo feito de forma extremamente pacífica.

Uma das primeiras coisas a se fazer em Hannover é ir para a Rathaus (ou prefeitura). É um prédio extremamente imponente que possui algumas atrações. A principal delas é sem dúvida subir para a vista panorâmica. Você paga 3 Euros por pessoa e sobe 3 andares de elevador e pega uma pequena fila para um próximo elevador. Este segundo elevador sobe mais de 30 metros por uma cúpula. Isso significa que o túnel dele possui uma inclinação com pequenas curvas. O elevador é todo de vidro, então ao entrar nele você acompanha todo o trajeto olhando para cima ao subir e para baixo ao descer. Durante o trajeto ele ainda se inclina levemente dando a impressão de estar tombando. Tudo vale muito a pena quando se chega em cima. Sobe-se ainda uma pequena escada em caracol para se ter uma vista de toda a região.

IMG_7302.JPG

Lá em cima percebe-se que a Rathaus é um dos prédios mais altos da cidade, e é possível observar alguns elementos da cidade que nem sabíamos que existia, como um grande lago há algumas dezenas de metros, além do estádio e diversos prédios históricos. Uma dica, se o dia não estiver nublado (infelizmente estava, por isso fomos de manhã), tente subir um pouco antes do pôr do sol. As fotos ficarão ainda mais fantásticas. Pode-se ficar quanto tempo quiser, por isso não se apresse e curta a vista. Ao descer, explore o andar térreo onde é possível ver quatro maquetes da cidade e verificar como ela cresceu (e foi destruída na Segunda Guerra) nos últimos 400 anos. Se visitarem a prefeitura no Sábado, como fizemos, verá ainda diversas noivas fazendo ensaios dentro e nas proximidades do prédio. Por fim, dê uma volta no parque atrás da prefeitura, com sorte você conseguirá tirar excelentes fotos do prédio e seu reflexo no lago. Foto tradicional de diversas revistas e guias que falam da cidade.

Ainda no centro da cidade, existem diversas igrejas que chamam atenção, tais como a Marktkirche, igreja Luterana construída em estilo gótico cuja torre é facilmente vista de qualquer canto da cidade. A Aegediankirche é famosa por não ter sido reconstruída após a guerra. Apenas as ruínas das paredes estão lá, não possuindo um teto. É uma homenagem aos mortos não só do ataque sofrido pela cidade, mas também das vítimas da Bomba de Hiroshima, cidade irmã de Hannover que foi presenteada com um sino, localizado nessa igreja. Perto de ambas, outro prédio chama atenção, é o Staatsoper, algo como o teatro municipal de Hannover que abriga a Cia de ópera da cidade que funciona de setembro a junho.

Apesar de possuir diversos prédios antigos, todo o centro da cidade é dedicado ao lado comercial com as principais marcas alemãs e mundiais, sendo um verdadeiro shopping a céu aberto com diversos quarteirões. Aos sábados é comum ver a cidade lotada por diversas pessoas de cidades próximas para realizarem suas compras. Outra atração interessante, para aqueles que gostam, é pegar os ônibus que fazem o city tour da cidade com diversos pontos de parada.

Sabemos que na cidade há ainda alguns outros passeios interessantes, como os Jardins Reais e o Palácio de Herrenhauser, além também do aquário da cidade e outros prédios belíssimos, porém como tivemos apenas algumas horas, decidimos focar mais no centro da cidade. Em visitas passadas já havíamos conhecido o Zoológico da cidade que recomendamos para aqueles que possuem crianças por sua proposta playground + zoológico, um pouco diferente do que estávamos acostumados em São Paulo. Por fim vale a pena dizer que Hannover é bem conhecida por suas diversas feiras que acontecem o ano todo com diversos temas e por este motivo, muito visitada o ano todo.

No fim do dia, voltamos para Braunschweig em um trem regional, que em geral possuem mais paradas (demorando um pouco mais), porém são também mais baratos.

Lembrando que nosso Instagram e Facebook há algumas fotos a mais para aqueles que querem conhecer um pouco mais sobre a cidade.

 

E vocês, já conheceram essa cidade incrível? Possuem alguma dica de lugar que vale a pena visitar?

Um abraço a todos,

Eduardo e Mônica.

IMG_7291.JPG

 

Dicas do dia a dia em Braunschweig

Olá pessoal, boa noite!!!

Viemos hoje contar para vocês sobre algumas dicas que tivemos aqui em Braunschweig e que provavelmente possa ajudar alguns de vocês em outras cidades da Alemanha.

É claro, que cada cidade e estado segue uma regra, então às vezes vale a pena buscar maiores informações a respeito de sua cidade.

  • Aqui em Braunschweig, existe uma empresa criada pelo governo da Baixa Saxônia, chamada Welcome Center, que é pago pela União Européia para ajudar os estrangeiros que vem morar aqui. Lá, eles passam todas as informações necessárias tais como: registros nos órgãos oficiais, seguros necessários, como abrir a conta no banco, onde e qual é o departamento responsável para equiparar o diploma brasileiro com o alemão, como tirar a carteira de motorista e assim por diante. Esse serviço é totalmente gratuito porém poucos estrangeiros o conhecem.
  • Uma das primeiras coisas a se fazer quando se muda para uma cidade alemã é se registrar na prefeitura da cidade. Este procedimento permitirá a todos os órgãos reconhecerem que você habita na cidade e inclusive a cobrar impostos devidos.
  • Durante este registro perguntam para a pessoa se ela possui religião. Em caso afirmativo, será cobrado um imposto relativo a esta religião e muitas vezes o mesmo será recolhido direto do salário.
  • Biblioteca da cidade: uma das coisas mais incríveis que encontramos por aqui!!! Com uma taxa de 15 euros por ano (o primeiro ano você ganha de graça ao fazer o registro da cidade) você tem acesso a diversos livros, revistas, jornais, jogos de cartas, de tabuleiros e de vídeo game. Você pode levar para a casa por 2 a 4 semanas (dependendo da categoria) e pode renovar até 3 vezes pela internet antes de devolver. Em caso de atrasos, pequenas multas serão cobradas. Além disso, as sessões de livros e jogos são realmente impressionantes!

IMG_7265.JPG

  • Ao tentarmos abrir a nossa conta no banco, descobrimos que NADA por aqui é feito sem antes marcar um horário, ou seja, planejem-se para tudo o que for burocrático, liguem antes e marquem os seus horários. Quase nada é feito na hora.
  • Aqui em Braunschweig, existe uma Associação Internacional de Mulheres, onde participam mais de 150 mulheres de mais de 30 países… Sim, eu me inscrevi, mas só posso iniciar em novembro, já que eu perdi o “café de boas vindas” deste mês (e não haverá em outubro, devido feriado). Nessa associação, elas têm em torno de 8 encontros mensais (não obrigatórios) para conversar sobre assuntos diversos, vão ao teatro, fazem Pilates, vão a passeios culturais, dentre outros. Tudo isso com o objetivo de socializar as mulheres e aumentar o conhecimento de cada uma sobre diferentes culturas. Quando eu começar lá, conto mais para vocês!

FullSizeRender-2.jpg

  • Aqui na Alemanha, existe um seguro chamado Privat-Haftpflichtversicherung (algo como Seguro de Responsabilidade), paga-se uma taxa anual relativamente pequena e ele te assegura de eventos que podem ocorrer que sejam de sua responsabilidade, como por exemplo, seu filho jogar uma bola na janela do vizinho, ou, se alguém escorregar na neve na porta de sua casa e machucar-se.
  • Crianças até o 4o ano do ensino fundamental não podem utilizar a bicicleta como meio de transporte. À partir desta série é necessário ter curso de direção de bicicleta (que inclui uma orientação sobre as leis de trânsito), para então poder usá-la desta maneira. Antes disso, ela deve ser utilizada apenas como recreação.
  • Um domingo a cada 2 ou 3 meses, o comércio abre normalmente. Em geral as cidades da região se revezam para permitir que em todos os domingos tenha alguma cidade por perto funcionando. Infelizmente, no domingo passado isso aconteceu aqui em Braunschweig, mas como não sabíamos, acabamos ficando em casa. A informação que nos foi dada, é que através do jornal do sábado e nos pontos de ônibus e trams, conseguimos saber essa informação.

 

E vocês, sabem de outras dicas?? Estamos curiosos…

Até mais!

Brasileiros em Braunschweig, na Alemanha e no mundo!

fullsizerender-8

 

Olá pessoal, tudo bem?

Estamos aqui na Alemanha há 12 dias e começamos o blog há exatos 7. Após escrevermos a matéria sobre as diferenças entre uma casa alemã e uma brasileira e graças aos compartilhamentos de algumas páginas no Facebook (“Alemanha para brasileiros”, “Vou para Alemanha” e “Na Alemanha tem ?”, dentre outras que não soubemos – Foram mais de 400 compartilhamentos) nós alcançamos um número impressionante de 30.000 vizualizações nessa semana com acessos dos seis continentes e de mais de 75 países (incluindo, dentre outros Uganda, Suriname, Vietnã e Guernsey, uma ilha inglesa com 60.000 habitantes) .

Gostaríamos de agradecer a todos que entraram e, apesar de sabermos que dificilmente conseguiremos repetir isso novamente e que a grande maioria não voltará, ficamos muito motivados a continuar escrevendo para todas essas pessoas.

O que nos surpreende ainda mais, é que por, ser um texto em português falando sobre o Brasil (e Alemanha, claro), é provável que muitos desses visitantes sejam brasileiros. Isso nos mostrou a quantidade de brasileiros que existem espalhados pelo mundo, às vezes em lugares que nem sabíamos que existia. Esperamos que muitos voltem e que compartilhem conosco a sua história e a sua visão sobre todos esses lugares!

Além disso, tivemos diversos comentários vindos de outros brasileiros morando na Alemanha (quase 10% dos visitantes no site foram daqui), mostrando outras diferenças que não notamos e nos dando algumas dicas para os próximos posts. Inclusive, encontramos através das redes sociais, outros brasileiros morando em Braunschweig ou em vilarejos próximos! Sabemos que, às vezes, ficar dias, semanas, meses ou anos, sem conversar com alguém pessoalmente em sua língua mãe pode ser frustrante e deprimente. Por isso, caso mais alguém esteja nesta região e ficou com vergonha ou preguiça de falar, convidamo-os a entrar em contato conosco e com certeza marcaremos de nos encontrar para conversar sobre qualquer coisa!

Coincidentemente hoje, encontramos os primeiros brasileiros por aqui ao acaso. Escutaram a gente conversando em português e logo se apresentaram. Por estarem trabalhando, não pudemos conversar muito, mas o pouco que foi dito já nos demonstrou que suas histórias são tão interessantes de serem contadas quanto a nossa e que às vezes, pensamos estar sozinhos e isolados, mas novos amigos podem estar ao nosso lado.

Por fim, recebemos alguns comentários de algumas pessoas que estavam interessadas em um dia vir para a Alemanha e querendo saber ainda mais sobre a nossa história. Em breve iremos compartilhar um pouco mais sobre como viemos até aqui e aonde queremos chegar. Espero que isso possa ajudar aqueles que sonham um dia trilhar um caminho parecido ao nosso e de muitos outros que vieram antes de nós. Por isso, novamente, compartilhem conosco suas histórias em nossos comentários. Por que estão na Alemanha (ou por que querem vir)? Há quanto tempo estão aqui? Seus objetivos (ou sonhos) iniciais foram atendidos? Pretendem voltar para o Brasil? Se sim, quando? Se não, porquê?

Um abraços a todos,

Eduardo e Mônica.